Batom com chumbo? Mito ou verdade? Preciso me preocupar?

Olá pessoal,

Hoje eu venho com um tema bastante polêmico na área da cosmética que é o caso do teor do elemento chumbo em batons. Várias pessoas já me perguntaram sobre o assunto e vou tentar esclarecer a maior parte das dúvidas. Então, senta, pega um café que o post é grande! 
Afinal, devemos nos preocupar com isso ou não? É perigoso? Temos que parar de usar batom? Bem, baseando-se na ciência e em dados concretos das agências reguladoras (tanto nacional, quanto internacional), já respondo que: NÃO! Os consumidores não estão em perigo. 

De fato, os batons contém chumbo, assim como outros elementos químicos presentes na natureza, MAS em quantidades muito, muito, MUITO pequenas. No entanto, o chumbo não é adicionado nos batons, e sim existe nos pigmentos como uma impureza/contaminante. Uma vez que estamos inseridos na natureza é completamente normal que existam diversos elementos químicos, inclusive metais pesados, presentes nas matérias primas que utilizamos e, portanto, nos produtos finais. Em alguns casos, alguns elementos estão presentes em quantidades mínimas devido ao processo de purificação utilizado ser eficiente, porém, não ser suficiente para retirar 100% daquele elemento. Existem pelo menos três motivos para isso: (i) não ser possível a completa extração do elemento; (ii) por não ser necessário sua total retirada ou (iii) por este elemento conferir alguma propriedade especial à matéria prima (este não é o caso nos batons). Em todos os casos, este julgamento é feito, dentre outros fatores, com base na sua toxicidade considerando como será consumido. As agências reguladoras como a U.S Food and Drug Administration (FDA, EUA) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) cuidam tanto da determinação das quantidades limite de cada elemento em cada matéria prima/produto quanto da fiscalização e testes de qualidade dos produtos para assegurar que são seguros e apropriados para serem comercializados e consumidos. Qualquer produto que tenha o teor de qualquer substância acima dos níveis seguros para a saúde humana, não é liberado para comercialização.

No caso dos batons não é diferente. No Brasil, todos os produtos são avaliados pela ANVISA e após o laudo de aprovação é que serão liberados para a comercialização. A ANVISA segue os padrões internacionais da FDA de análise e de qualidade dos pigmentos utilizados em cosméticos (veja aqui). Segundo a FDA, não existe regulamentação específica com relação ao teor de chumbo nos batons, no entanto, existem limites estabelecidos desse elemento nos pigmentos que são utilizados na fabricação de cosméticos. A regulamentação de 2011 diz que o limite máximo de chumbo que pode existir num pigmento cosmético é de 20 ppm (por exemplo: cada 1000 kg de pigmento terá 20 g de chumbo). No site da FDA (acesse aqui) tem uma lista completinha mostrando o resultado do teste feito em 400 batons de marcas e tonalidades diferentes e TODOS contém chumbo (inclusive os da MAC, Dior, Revlon.. e muitas outras  dessas marcas bacanas), PORÉM as quantidades estão entre 7,19 e menores que 0,026 ppm, e a média é de 1,11 ppm (bem abaixo do valor limite). No caso dos cosméticos produzidos na União Européia, o chumbo não é permitido em concentrações detectáveis (regulamentações e todos os produtos químicos proibidos em cosméticos na União Européia aqui).

Daí os mais fervorosos falarão: mas o chumbo é um metal pesado e é cumulativo no organismo, então irá trazer malefícios a saúde a longo prazo, inclusive é considerado carcinogênico (fonte aqui). Ok ok.. concordo com a parte do metal pesado cumulativo, MAS, sendo realista do ponto de vista químico o pobre coitado do batom que tem em média 1,11 ppm de chumbo só vai se acumular no organismo e causar alguma doença numa situação extrema em que a pessoa literalmente coma (sim, do verbo comer) centenas de batons por dia (e temos que concordar que os malefícios dessa dieta excêntrica vão começar a acontecer muito rapidamente e provavelmente pela ingestão do batom em si e, acredito que não iria dar tempo da quantidade de chumbo se tornar de fato o problema). Lembrando que o batom é de uso tópico (e que sua ingestão é muito, muito pequena) a quantidade absorvida pelo organismo é ainda muito menor. Então, temos que ser realistas e práticos. As agências reguladoras não vão liberar um produto para comercialização se o mesmo causar danos à saúde quando utilizado corretamente. Não podemos confundir e nem correlacionar os limites de chumbo em alimentos e em batons. O limite de chumbo em alimentos é de 0,1 ppm, muito menor do estabelecido para pigmentos cosméticos, justamente pelo fato de que os alimentos são ingeridos e todas as substâncias e elementos presentes nos doces serão metabolizados e levados para a nossa corrente sanguínea. Daí sim, o limite permitido DEVE ser extremamente menor devido ao risco de intoxicação ser muito mais provável se a ingestão for exagerada. Ah, e eu ainda tenho um exemplo na minha família de que podemos ficar despreocupados! Uma tia minha, usa batom TODOS os dias, desde sua adolescência até hoje, com quase 70 anos… e ela nunca teve nenhum problema com relação à contaminação por chumbo.

Acredito que um dos grande problemas dessa questão é o sensacionalismo, que obviamente, não leva em consideração a realidade científica por trás de certos assuntos e que acaba influenciando as pessoas a pensar o que a mídia quer (não só no ramo dos cosméticos). Na minha opinião, e sei que muitos concordam comigo, que essas polêmicas são geradas por aqueles que pretendem desmerecer a qualidade dos produtos e induzir as pessoas a deixar de consumir algo para consumir outro (e em benefício do próprio divulgador do “boato”). Por exemplo: a notícia diz que o batom da marca X contém chumbo e que a marca Y não contém, e induz as pessoas a comprarem somente a marca Y. A população sabe que chumbo é ruim, então todos passam a comprar somente a marca Y. Daí a marca X tem que rebolar para conseguir credibilidade novamente e mostrar que seus produtos estão dentro das normas estabelecidas (e muitas pessoas continuam não acreditando e boicotando a marca X). E assim se destrói a reputação de uma marca com uma suja estratégia de marketing. Não é assim que deveria ser mas… nesse mundo capitalista e monopolista… acontece.

Eu não estou defendendo que está certo que as marcas permitam níveis de detectáveis de chumbo em pigmentos cosméticos, mesmo que baixos. Eu mesma durante todo meu mestrado trabalhei com chumbo e sei dos malefícios que pode causar por isso acho que quanto menos chumbo melhor. Acho ótimo também que a União Européia tenha banido esse metal dos cosméticos produzidos lá. No entanto, eu queria esclarecer a questão da toxicidade dos batons de forma prática, com base científica, fontes confiáveis e exemplos  que as quantidades de chumbo permitidas nos pigmentos cosméticos não oferecem risco à saúde. Todos podemos ficar tranquilos e continuar colorindo nossos lábios sem medo! =D

Beijos

Mayra Dancini

Química, capricorniana, sensível e apaixonada pela vida e pela beleza dos detalhes a nossa volta. Gosto de aprender como funciona nosso corpo, nosso universo e praticar a arte da maquiagem. Acredito que nada substitui o amor, o respeito, uma boa comida, o sorriso sincero e uma vida ativa e equilibrada.

Related Posts

10 Discussion to this post

  1. Olá Mayra,

    Primeiramente parabéns pelo texto. Hoje em dia às vezes topamos com blogs que fazem postagens com até 5 linhas e chamam aquilo de texto. Enfim…como boa linguista que sou precisava fazer esse comentário. Amo textos informativos e que agregam informações de qualidade para o público.

    Eu já tinha ouvido falar da questão do chumbo, porém somente agora, por causa do site que tenho, venho pesquisando mais e me interessando por esse tipo de assunto. Você, sendo química, tem aí um vasto território para explorar e nós, suas seguidoras, com certeza iremos nos beneficiar muito deste tipo de informação.

    Amei o artigo de coração! Até compartilhei no meu google +.

    Beijo grande querida e muito sucesso!!

    Amanda Hilsen

    http://www.amandahilsen.com

  2. Mayra Dancini disse:

    Olá querida!!
    Muito obrigada!!! Fico muito feliz que gostou do texto e que ele foi útil!! É muito bom ver o trabalho reconhecido, ainda mais por uma profissional como você!! =D
    Obrigada por compartilhar!!
    Beijoss

  3. Juliana disse:

    Bacana teu texto. bem explicativo.
    Porém vale lembrar que as doenças por chumbo nao seriam, necessariamente, uma intoxicação.. e sim diversos tipos de cancer ocasionados por esse metal. Diversos tipo de cancer, por exemplo, podem estar associado a isso.
    Usar ou nao fica a nosso criterio.
    Eu sempre fui a louca do batom. minha make indispensável, sempre. Mas, depois da gravidez, passei a ter esses cuidados. acho pertinente pensarmos um pouco mais profundamente sim. Até porque confiar em industria nao seria algo racional, ainda mais aqui no Brasil. onde nada funciona direito!

    • Mayra Dancini disse:

      Olá Juliana!
      Obrigada pelo comentário! Concordo plenamente com você sobre as precauções durante a gravidez!
      Com certeza você tem razão que os males do chumbo não se limitam a necessariamente uma intoxicação, ele oferece diversos riscos a órgãos e sistemas, causando alterações subcelulares e efeitos neurológicos sobre o desenvolvimento, além da conhecida doença Saturnismo. No entanto, casos de câncer em humanos ainda não foram comprovados cientificamente, somente em ratos. Eu realmente desconheço esse fato baseada em diversos artigos científicos sobre o tema.
      Mas a quantidade de chumbo em cosméticos, batons especificamente, estão presentes em quantidades inócuas e dificilmente levarão à alguma complicação a curto ou longo prazo, justamente por isso que são liberados pela ANVISA. Isso é muito sério, o orgão é sério. O que temos que fazer sempre é procurar marcas de cosméticos que tem o selo de aprovação da ANVISA, daí podemos ter certeza que estão dentro dos padrões de qualidade e ficarmos mais tranquilas.
      Creio que todos temos o direito de escolha, assim como você disse. Eu também acredito que sempre temos que ter senso crítico e saber com o que estamos lidando e, que no caso os batons, de boa procedência, são seguros para nossa saúde. Apesar que o correto mesmo seria fazer igual à União Européia, que não tolera níveis detectáveis de chumbo em cosméticos.
      Um beijo e seja sempre bem-vinda! =D

  4. Joseana disse:

    Olá Mayara. Como faço para saber e conferir se realmente determinada marca de batom, é de fato permitido pela ANVISA?
    Obrigada desde já.

    • Mayra Dancini disse:

      Olá Joseana!
      Você pode acessar o site da Anvisa e na página inicial clique em “Serviços da Anvisa”.. na página seguinte vai na parte “Cidadão” e entre no link “Consulta a registro de produtos”. Na página seguinte clique em Cosméticos e, na nova página “Cosméticos Regularizados”. Daí vai abrir um formulário cheio de campos para preencher, mas você não precisa preencher tudo, só o CNPJ na empresa (da pra buscar pelo nome da empresa no próprio formulário) ou então pelo nome do produto. Eu, particularmente, tive problemas em tentar fazer a busca pois o site nunca aceitava quando eu digitava aquele código captcha pra “confirmar que você não é um robô” sabe?.. então acabei não conseguindo buscar. Pode ser problema do meu navegador ou do site deles mesmo. Depois dá uma olhada lá pra ver se você consegue fazer a busca. Teoricamente, é pra dar certo! hehe
      Espero ter ajudado!
      Seja sempre bem-vinda!

  5. Viviane disse:

    Isso de ”As agências reguladoras não vão liberar um produto para comercialização se o mesmo causar danos à saúde quando utilizado corretamente” é um pouco inocente de se ler, visto que no Brasil por exemplo temos FORMOL liberado em progressiva e todo mundo sabe o que ele faz, e não não é seguro batom com chumbo pelo simples fato de que ele leva de 20 a 30 anos para sair do corpo, enquanto isso vai deteriorando o cérebro, derretendo quase que literalmente , não dá pra fazer vista grossa que chumbo, que deixa as pessoas demente e doentes, um pouco aqui ali não faz mal? Faz sim, e MUITO MAL , não é pouco, se vc pode comprar coisas sem chumbo comece agora, Deus te proteja, se livre disso se puder, se proteja, as indústrias não estão nem aí, é uma máfia, fazem coisas pras pessoas ficarem doentes e alimentar a indústria farmacêutica, cuidado!

  6. Suca Mendes disse:

    Simplesmente amei essa matéria!

  7. Michelle disse:

    Nossa Mayra, só hoje encontrei teu site…mas valeu a pena mesmo encontrando hoje. Adorei a postagem, conteúdo muito interessante.

    Grata,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *